Petrobrás é acusada de privilegiar PT

Ex-chefe da Comunicação Institucional teria beneficiado partido no patrocínio de festas de São João na Bahia

Clarissa Thomé, RIO, O Estadao de S.Paulo

15 de abril de 2009 | 00h00

A deputada estadual da Bahia Virgínia Hagge (PMDB) vai oficiar a Petrobrás para saber os critérios para escolha das cidades do interior baiano que recebem patrocínio para os festejos juninos. Segundo a deputada, há denúncias de que o ex- chefe da Comunicação Institucional da estatal no Estado Rosemberg Pinto, hoje assessor da presidência da empresa, teria beneficiado prefeituras ligadas ao PT e a partidos da base aliada. Ele pediria, em contrapartida, contratação de determinadas empresas de organização de eventos."Ele usa o dinheiro da Petrobrás como moeda política. Nós sabemos qual o critério de escolha dos municípios: é o critério Rosemberg Pinto", afirmou Virgínia. O líder da oposição na Assembleia, deputado Heraldo Rocha (DEM), disse que vem denunciando desde o ano passado a atuação de Pinto. "Ele começou com as festas juninas e depois passou a intervir nas campanhas municipais. Na minha ótica, ele é o braço econômico do PT na Petrobrás", afirmou. A escolha dos municípios beneficiados já tinha sido questionada anteriormente pelo hoje ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. "Enviei ofício à Petrobrás cinco ou seis anos atrás, quando já se falava da atuação dele (Rosemberg Pinto). Mas me afastei dessas questões e não tenho novos dados", afirmou o ministro. A Petrobrás negou critérios políticos para a escolha das cidades. Em nota, informou que patrocina as festividades desde 2005. Em 2008, foram beneficiados 26 municípios na Bahia. Cada prefeitura teria recebido entre R$ 40 mil e R$ 80 mil. Em levantamento feito pelo jornal Correio da Bahia, em 2005, 78% dos recursos da estatal para o São João baiano haviam sido destinados a prefeituras do PT e da base aliada. Rosemberg Pinto não deu entrevista. Ele faz parte de um grupo de trabalho que avalia modelos de gestão da empresa, no Rio, como assessor do gabinete do presidente, José Sérgio Gabrielli. O presidente do diretório estadual do PT da Bahia, Jonas Paulo, classificou as denúncias de "vilania". PREFEITURAS As prefeituras das cidades baianas nas quais ocorrem as principais festas de São João no Estado - Amargosa, Cruz das Almas e Senhor do Bonfim - negam que a Petrobrás cobre contrapartidas para patrocinar os eventos. A ST Estruturas, apontada como uma das empresas que deveriam ser contratadas pelas prefeituras, divulgou nota na qual informa que, em 2008, "montou a estrutura do São João para apenas quatro municípios do interior baiano (Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Euclides da Cunha e Senhor do Bonfim), dentre os 250 municípios que comemoram a festa na Bahia, e dos quais cerca de 50 foram patrocinados pela Petrobrás". "Não temos nenhuma relação com o senhor Rosemberg Pinto", afirmou o sócio-diretor da ST Estruturas, Marcos Amaral.COLABOROU TIAGO DÉCIMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.