Petrobrás bloqueia acesso de funcionários à Wikipedia

Medida é tomada após estatal confirmar que mudanças em perfil de ex-diretor foram feitas de um computador da companhia

Antonio Pita , Agência Estado

16 Setembro 2014 | 16h30

Alteração às 22h31

Rio - A Petrobrás decidiu bloquear o acesso de todos os funcionários ao site da enciclopédia virtual Wikipédia para impedir novas mudanças em verbetes relacionados à companhia. A decisão foi tomada após a estatal petroleira confirmar que as alterações no perfil do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa foram feitas de um computador da Petrobrás. 

Segundo o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, o acesso ao site da Wikipédia foi bloqueado em todos os computadores da companhia ainda na segunda-feira, logo após a identificação do autor das alterações. Em nota, a companhia informou que só irá se pronunciar após a conclusão das apurações da comissão interna aberta para apurar o caso. 

O bloqueio do site pegou de surpresa os empregados e provocou insatisfação entre os trabalhadores. “Por conta do erro de um, todos estão pagando e sofrendo as consequências. Nós usamos o site para consultas em nosso trabalho”, afirmou um funcionário.

Qualquer um que abrir uma conta na Wikipédia pode criar ou modificar um tópico.

Alteração. No sábado passado, um computador da sede da companhia, no Rio, foi usado para alterar informações sobre Paulo Roberto Costa, preso durante a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga esquema suspeito de lavagem de dinheiro e corrupção envolvendo a Petrobrás e outros órgãos públicos. A alteração, que foi apagada minutos depois, foi feita de um computador com registro associado à companhia.

O texto alterado apontava Costa como “cria do governo tucano” de Fernando Henrique Cardoso, quando o ex-diretor teria assumido cargos executivos na companhia. O texto alterado acusava a imprensa de omitir a participação do ex-diretor durante a gestão tucana. 

Além disso, a alteração indicava que Costa foi demitido “com aprovação da presidente Dilma Rousseff” por estar “muito soltinho” no cargo. O ex-diretor foi desligado da Petrobrás em 2012, poucos meses após a atual presidente da estatal, Graça Foster, assumir o comando da empresa. 

Na segunda-feira, em nota, a Petrobrás informou que abriu uma comissão interna para verificar as medidas que podem ser aplicadas ao servidor “no âmbito trabalhista em função do não cumprimento das normas internas da companhia”. A estatal informou ainda já ter identificado o autor das modificações, mas não informou seu nome e a função na empresa.

Em agosto, os perfis dos jornalistas Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg foram alterados na Wikipédia por um computador ligado à rede do Palácio do Planalto. O perfil modificado fazia críticas às análises econômicas dos dois comentaristas. Na semana passada, o Planalto informou que o servidor que fez as mudanças foi identificado e exonerado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.