Petistas utilizam site para continuar os ataques a FHC

O Partido dos Trabalhadores (PT) continua utilizando seu site na Internet para atacar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principalmente depois do tucano ter declarado à revista IstoÉ que "a ética do PT é roubar". Nesta terça-feira, por exemplo, o site sugere a leitura do livro "O Mapa da corrupção no governo FHC", escrito por Ronaldo de Moura e Larissa Bortoni. De acordo com os petistas, a recomendação serve para "dar subsídios aos debates".O livro relata as principais denúncias de irregularidades do antecessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além desta obra, os petistas também indicam outros livros, todos editados pela Fundação Perseu Abramo, que foi instituída pelo partido há dez anos. São eles "Crime (quase) perfeito - Corrupção e lavagem de dinheiro no Brasil", de Rogério Pacheco Abrão, e "A Máfia das propinas - Investigando a corrupção em São Paulo", de José Eduardo Cardozo, deputado petista.Além das resenhas dos livros, os petistas republicam em seu site um trecho de um documento elaborado pela liderança do PT na Câmara dos Deputados, em junho do ano passado, que lista os principais escândalos do governo de Fernando Henrique e que, segundo membros do PT, "desmente as afirmações do ex-presidente". Para os petistas, o governo do ex-presidente "foi pródigo em abafar a corrupção".Entre os casos listados, estão a concorrência do Sivam/Sipam, o esquema de compra de votos para aprovar a reeleição, as privatizações da Companhia Vale do Rio Doce e da Telebrás, a desvalorização do real, o apagão e o aumento dos casos de dengue em 2002, época em que José Serra ocupava o ministério da Saúde.Em contrapartida, os tucanos citam em seu site a entrevista que Fernando Henrique concedeu na segunda-feira ao programa Roda Viva. "Ou Lula era muito ingênua para ser presidente, ou ele sabia (sobre os escândalos)", é o título do artigo da Agência Tucana, citando a frase de Fernando Henrique.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.