Petistas tentam impedir Serra de fazer campanha

A disputa entre tucanos e petistas está cada vez mais acirrada nesta reta final do primeiro turno. Durante campanha, na tarde desta quinta-feira, na Capela do Socorro, zona sul, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, teve de enfrentar cerca de 200 militantes do PT que tentavam cercear sua caminhada pelas ruas deste bairro. "É uma ação fascistóide de tentar calar os adversários pela violência", reagiu o tucano em rápida e tumultuada entrevista coletiva concedida no local. Serra comparou a atitude dos militantes petistas aos métodos usados pela ditadura para coibir os militantes de esquerda. "Isto é como o CCC (Comando de Caça aos Comunistas)", comparou.Indagado sobre o pedido de desculpas feito hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por conta de ele ter pedido votos para a prefeita Marta Suplicy, durante inauguração de obra na zona leste, Serra reagiu com ironia: "Eu não me senti ofendido, pois Lula ofendeu a lei e não a mim. Ele (Lula) tem de ser o exemplo de cumprimento da lei. Ele a desrespeitou e depois vem pedir desculpas?"Antes da chegada de Serra à Capela do Socorro, os militantes petistas já tomavam conta das principais ruas do local. O coordenador da campanha de Marta na Capela do Socorro, Glauco Piai, informava aos repórteres que o seu partido estava deflagrando a "operação caça vampiro".Segundo ele, esta operação se destina a sitiar os locais onde o tucano está fazendo campanha. "A nossa intenção é ofuscar a campanha dos tucanos", declarou o coordenador. Segundo ele, no local havia 250 militantes petistas e 16 kombis com aparelhagem de som tocando jingle da candidata petista.Em determinado momento da caminhada, cercado por petistas e pelos militantes do seu partido, José Serra chegou a questionar um dos militantes de sua adversária sobre as razões que o levava a tomar este tipo de atitude. Quando o militante disse que não tinha nada a declarar, Serra questionou a coragem de seus opositores.PânicoDurante a entrevista coletiva, Serra disse que a atitude dos militantes petistas, de tentar cercear a sua caminhada, mostra certa aflição e desespero. "A rua pertence à população", argumentou. Apesar da hostilidade, o candidato tucano disse que estava tranqüilo e sua campanha iria continuar sendo feita da maneira usual, com propostas.O tucano acusou a adversária Marta Suplicy de quebrar financeiramente a cidade e de estar dando um "péssimo exemplo para o Brasil" e destacou: "A sordidez que eles (petistas) anunciaram no começo da campanha, são eles próprios que estão usando, com os ataques pessoais, compra de votos e mamatas com o lixo, entre outras coisas."O único momento light da caminhada na Capela do Socorro foi quando o candidato tucano concedeu entrevista aos humoristas do programa Pânico, da Rede TV. O Repórter Sílvio Santos e o Repórter Vesgo conseguiram arrancar risadas de José Serra quando perguntaram se ele estava careca de conhecer os problemas da cidade. Em seguida à entrevista, o tucano ganhou um beijo na testa do Repórter Vesgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.