Petistas se unem a Marina contra relatório pró-transgênicos

Por 15 votos a 1, a bancada do PT na Câmara contrariou o governo e decidiu aliar-se à ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, para derrubar em plenário o relatório da comissão especial da Biossegurança que facilita o plantio de sementes de transgênicos e libera a pesquisa com células-tronco. Os petistas e Marina consideram que a proposta aprovada quarta-feira na comissão especial e que seguirá para o plenário flexibiliza demais a questão dos transgênicos.Se for aprovado no plenário o texto aprovado pelo Senado e confirmado pela comissão especial, Marina terá enfrentado seu maior desgaste. Afinal, foi derrotada nas suas exigências por uma lei mais rigorosa. Pior: a derrota de Marina e dos setores ambientais mais extremados provocou a queda do relator do projeto na Câmara, deputado Renildo Calheiros (PC do B-PE), aliado da ministra. Foi substituído pelo ruralista Darcísio Perondi (PMDB-RS), defensor dos transgênicos. Se derrotada na sua última tentativa de barrar o projeto, Marina poderá ficar tão desgastada que, na opinião de petistas, não teria mais como ficar no governo, pois a proposta que quer derrubar foi apoiada pelo Palácio do Planalto. Nesta quinta-feira, Marina Silva deixou claro que não se deu por vencida e vai brigar para que a Câmara aprove regras claras e mais rígidas para a liberação dos transgênicos. Em reunião do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), a ministra disse, segundo relatos de integrantes do Conama, que vai trabalhar para que Renildo Calheiros seja o relator da proposta em plenário, nova etapa de votação do projeto de biossegurança. Ela acredita que o plenário poderá decidir diferentemente do que foi aprovado pela comissão especial. Lembrou que na votação do projeto, no ano passado, o plenário votou a favor do texto de Calheiros. Marina se queixou ainda das críticas que tem recebido por defender regras mais rígidas para a produção de organismos geneticamente modificados (OGMs). Para ela, a adoção de cautela para a liberação de OGMs, não pode ser entendida como uma posição ideológica. Na proposta que será apreciada pelo plenário - a mesma que foi relatada no Senado pelo senador Ney Suassuna (PMDB-PB), a Comissão Técnica de Biossegurança (CTNBio) terá poder de definir a necessidade ou não de realização de estudo de impacto ambiental para a produção de transgênicos. Esta proposta do Senado praticamente libera os transgênicos", afirmou o deputado João Alfredo (PT-CE). Na quarta-feira, o parlamentar saiu derrotado da comissão especial da Câmara que aprovou parecer do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) cujo texto é idêntico ao do Senado.Em relação às pesquisas com células-tronco de embriões humanos, a bancada do PT não modificou a decisão tomada anteriormente pelos petistas de liberar o voto. No parecer de Suassuna e de Darcísio Perondi, a pesquisa e o uso para terapia de células-tronco de embriões foram autorizados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.