Petistas esperam vitória de Dilma com 60% dos votos válidos

Nos bastidores, partidários da candidata já falam em uma vitória avassaladora sobre o tucano

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado,

29 de outubro de 2010 | 12h47

BRASÍLIA - A dois dias da eleição, e quase um mês após o susto com o resultado que levou Dilma Rousseff (PT) ao segundo turno, o comando de campanha da petista já fala, nos bastidores, em uma vitória avassaladora sobre José Serra (PSDB). Embalada pelas últimas pesquisas, uma fonte do núcleo de coordenação da campanha afirmou à Agência Estado que espera que Dilma atinja 60% dos votos válidos.

 

Não é um desejo aleatório, funda-se na preocupação com o "day after" em caso de vitória da petista: Como ela vai lidar com as cobranças dos aliados, em especial do PMDB? "Ela não é Lula", observa a fonte dilmista, sem disfarçar o desalento. A fonte reconhece que faltam à candidata dois atributos que garantem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva o pleno exercício do poder: a expertise na articulação política e os altos índices de aprovação popular.

 

O PMDB já mandou recados de que se ressente do papel de coadjuvante que lhe foi imposto pelo PT na campanha, mesmo com o presidente do partido, Michel Temer, ocupando a vaga de vice. Apesar das promessas, o núcleo decisório da campanha dilmista continuou restrito aos petistas José Eduardo Dutra, José Eduardo Cardozo e Antonio Palocci durante o segundo turno.

 

Antevendo a avalanche de cobranças, a fonte pondera que não basta ganhar a eleição: é preciso vencer com uma ampla margem de votos. A meta é repetir o desempenho de Lula, que alcançou 60% dos votos válidos no segundo turno de 2006, quando venceu Geraldo Alckmin (PSDB) com uma diferença de 20 milhões de votos.

 

A fonte dilmista invoca as últimas pesquisas para afirmar que a petista tem condições de repetir o feito de Lula. Pesquisa Datafolha divulgada hoje mostra Dilma com vantagem de 12 pontos sobre Serra nos votos válidos: ela tem 56% e ele, 44%. A pesquisa Ibope/Estado/Globo divulgada ontem aponta vantagem ainda maior, de 14 pontos: ela desponta com 57% dos votos válidos contra 43% do tucano.

 

Questionada pela Agência Estado, a fonte admite um exagero falar em vitória com 60% dos votos, até porque os institutos de pesquisas erraram em suas previsões no primeiro turno. Mesmo assim, ela afirma que o PT vai se empenhar para que Dilma alcance, pelo menos, 58% dos votos válidos. Seria o suficiente, argumenta, para garantir à Dilma musculatura política para encarar as demandas dos aliados, que disputarão cada centímetro de espaço no próximo governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.