Petistas entram em conflito por sede do partido no MA

A disputa entre petistas ligados e contrários ao apoio da candidatura de Roseana Sarney (PMDB) no Maranhão virou alvo de uma disputa na Justiça Eleitoral no Estado. A coligação "O Maranhão não pode Parar", que reúne 17 partidos entre os quais o PT e o PMDB, ingressou com uma representação contra o candidato a governador Flávio Dino (PCdoB) no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) por causa da instalação de um comitê do socialista na sede petista em São Luís.

WILSON LIMA, Agência Estado

05 de agosto de 2010 | 18h19

Os advogados da coligação da governadora Roseana Sarney argumentam que a instalação de um comitê de Flávio Dino na sede do PT dia 13 de julho configurou-se propaganda eleitoral irregular, já que ela foi realizada em "bens particulares sem a prévia autorização do proprietário (no caso o PT)". A representação interposta pelo PMDB e PT requereu multa contra a coligação do PCdoB e também tentou impedir que a base de apoio do socialista não afixasse mais cartazes ou material de propaganda de Dino na sede do PT. A instalação do comitê de Dino na sede do PT foi uma ação de petistas que são contrários à aliança do partido com o PMDB no Maranhão.

O desembargador Jaime Ferreira de Araújo, relator dessa representação, resolveu extinguir o processo sem resolução do mérito no dia 2 de agosto porque entendeu não ser o Tribunal Regional do Estado a corte adequada para se discutir sanções relacionadas à invasão de uma sede de partido como queria a coligação que uniu o PT e o PMDB no Maranhão. "O verdadeiro possuidor do bem turbado deve buscar nos respectivos juízos cível e criminal as providências judiciais cabíveis para a situação acima relatada (invasão da sede do PT)", afirmou o desembargador Jaime Ferreira de Araújo.

O presidente da executiva estadual do PT, Raimundo Monteiro, afirmou que a representação não tinha o objetivo de punir Flávio Dino. Ele alegou que o documento foi apenas uma medida preventiva contra uma outra invasão da sede do PT em São Luís. "Essa representação foi interessante até mesmo para o Flávio Dino já que ele não sabia desse ato (a invasão da sede do PT). Não queremos puni-lo, apenas evitar que outra situação como essa ocorra no futuro", declarou Monteiro. "A sede do PT não pode ser utilizada nem por Flávio Dino, nem por Roseana, nem por ninguém. Nem Dilma (Rousseff) utiliza o comitê do PT para a sua campanha", complementou Monteiro. A coordenação de campanha de Dino classificou a representação contra o candidato como um "grande absurdo". Eles afirmam que não houve envolvimento direto de Dino na invasão da sede do PT.

Esse foi apenas mais um episódio da briga pelo controle da sede do PT no Maranhão. Depois da instalação do comitê de Flávio Dino, petistas ligados à Roseana Sarney colocaram cadeados na sede petista e ameaçaram os "rebeldes" de expulsão do partido com base no princípio da infidelidade partidária. Os "petistas rebeldes" arrombaram a sede do partido como forma de protesto, mas a executiva estadual registrou um boletim de ocorrência contra os próprios colegas de partido que estavam nessa manifestação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.