Petistas e tucanos ignoram veto e celebram candidatura em BH

Petistas e tucanos agitarambandeiras lado a lado na quinta-feira na capital mineira, sobaplausos do governador Aécio Neves (PSDB) e do prefeitoFernando Pimentel (PT), indiferentes ao veto do DiretórioNacional petista à aliança que une os partidos rivais em tornoda candidatura de Márcio Lacerda (PSB) à Prefeitura. Lideranças e militantes das duas legendas participaram doprimeiro ato público da chapa encabeçada por Lacerda,ex-secretário do governo do tucano e que tem o petista RobertoCarvalho como candidato a vice. Para fechar a coligação, o PSDB aceitou apoiar acandidatura apenas informalmente, o que fez pouca diferençapara quem esteve no Teatro Sesminas na noite de quinta-feira. "O veto do PT é passado. Não tem a menor relevância",afirmou Aécio a jornalistas ao chegar ao teatro, acompanhado dePimentel e Lacerda. No seu discurso, que encerrou o evento, o governadormineiro, tido como possível candidato à sucessão do presidenteLuiz Inácio Lula da Silva, seguiu com o tom de provocação eafirmou que o PSDB merece cumprimentos "por não ter caído naarmadilha do confronto", em referência ao PT Nacional. Mais contido, o petista Pimentel também elogiou olançamento da campanha com a participação de tucanos, petistas,socialistas e membros dos partidos que apóiam oficialmente acandidatura de Lacerda (PTB, PV, PMN, PP, PR, PSL, PTdoB, PRP,PSC, PTN e PSDC). "Isso mostra que é possível o caminho da convergência,deixando de lado o sectarismo e o partidarismo rasteiros",afirmou o prefeito, bastante aplaudido. O candidato, no entanto, preferiu apenas ler um discurso,que não chegou a empolgar as centenas de pessoas presentes noevento. Em sua fala, Lacerda ressaltou a novidade da aliançaentre partidos que nacionalmente são notórios adversários. "É uma experiência nova que estamos vivendo em BeloHorizonte", disse o candidato a prefeito. O apoio do presidente Lula à união dos dois partidos emBelo Horizonte ajudou a viabilizar a candidatura de Lacerda,membro de uma sigla que faz parte da base do governo noCongresso Nacional. (Reportagem de Marcelo Portela)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.