Petistas dizem que oposição está 'assustada'

Os aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva responderam à intenção da oposição de, mais uma vez, processar o presidente na Justiça Eleitoral por campanha antecipada, acusando os adversários de não terem discurso.

CAROL PIRES, Agência Estado

30 de abril de 2010 | 19h12

O assessor de política externa da Presidência, Marco Aurélio Garcia, que também é coordenador da campanha de Dilma Rousseff à sucessão de Lula, disse que a oposição insiste em acionar o presidente na Justiça porque está "assustada".

"Eles estão assustados, sem discurso", disse. "O Serra, que é mais esperto, ataca a Dilma e não o Lula, mas atacar a Dilma é o mesmo que atacar o presidente, porque ela teve participação fundamental nos projetos de governo dele", completou.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que a oposição é muito "violenta", porque não está acostumada, segundo ele, com a democracia. "Esta estratégia da oposição é trololó. A fala do presidente Lula é patriótica, e em momento algum manifestou preferência partidária pela pré-candidata Dilma", completou o líder.

No pronunciamento que fez à população, o presidente Lula disse que, apesar de a gestão dele estar chegando ao fim, sente que este modelo de governo "está apenas começando".

"Algo me diz, fortemente, em meu coração, que este modelo vai prosperar. Sabe por quê? Porque este modelo não me pertence: pertence a vocês, pertence ao povo brasileiro, que saberá defendê-lo e aprofundá-lo, com trabalho honesto e decisões corretas", disse o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.