Petistas defendem contratação de parentes

Os deputados federais Milton Temer e Jorge Bittar, do PT do Rio, defenderam a contratação de parentes por prefeitos eleitos pelo partido. De correntes ideologicamente opostas dentro da legenda, Bittar, ligado nacionalmente à moderada Articulação, e Temer, do grupo Refazendo, mais à esquerda, acreditam que o nepotismo pode ser aceito, desde que sejam respeitados critérios de competência. "Uma coisa é o prefeito contratar um parente só porque ele é seu parente. Outra coisa, bem diferente, é o mesmo prefeito contratar a mulher ou seja lá quem for tendo como base notórios critérios de competência", disse Bittar. Secretário estadual de Planejamento antes do rompimento definitivo do PT com o governo Anthony Garotinho, no ano passado, ele acredita que a direção nacional do partido errou ao tirar uma resolução proibindo a contratação de parentes por parte dos candidatos do PT nas eleições passadas. "Acho que foi uma decisão radical, que de certa forma engessou o partido", disse Bittar. "Mas a polêmica serviu para que essa questão seja melhor discutida dentro do partido. Sei que é um assunto muito subjetivo, mas podemos, por exemplo, estabelecer critérios básicos para a contratação de parentes." O deputado Milton Temer preferiu não polemizar sobre a resolução. "Se eu fosse eleito prefeito, seguiria a determinação e demitiria os parentes", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.