Petistas de Pernambuco filiam-se ao PSB

'É um assédio deplorável, uma atitude pouco amistosa, não é próprio de aliado', reagiu o presidente regional do PT, deputado federal Pedro Eugênio

Ângela Lacerda , O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2013 | 18h33

Em cerimônia fechada, na sede do PSB no Recife (PE), o presidente nacional do partido, governador Eduardo Campos, assinou nesta sexta-feira, 04, as fichas de filiação do seu secretário de Transportes, Isaltino Nascimento, considerado "petista histórico" e do ex-deputado federal do PT, Maurício Rands.

Rands havia anunciado sua saída da vida pública em julho do ano passado, quando renunciou ao mandato. Retornou, a pedido de Campos, para se integrar ao seu projeto presidencial.

"É um assédio deplorável, uma atitude pouco amistosa, não é próprio de aliado", reagiu o presidente regional do PT, deputado federal Pedro Eugênio, diante da saída de Isaltino e da empreitada do PSB visando a atrair petistas. Deputado estadual licenciado, Isaltino deixa o PT quando o partido cogita entregar os cargos que ocupa no governo de Campos - secretarias de Transporte e de Cultura - depois que o PSB deixou o governo Dilma.

Maurício Rands queria ser o candidato do PT à prefeitura do Recife no ano passado. Disputou prévias com o ex-prefeito João da Costa, que buscava a reeleição, e perdeu. Indignado, chamou a direção nacional do PT de "autoritária e burocrática" em uma carta aberta, quando renunciou ao seu mandato na Câmara Federal. Ele deixou o Brasil e passou a atuar como advogado do grupo Petra Energia Internacional, controlada no Brasil pelo pernambucano Roberto Viana.

Tudo o que sabemos sobre:
PTPernambucoEduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.