Petistas criam cartilha para fiscalizar militantes em eleições internas

Há 17 dias para eleição de novo presidente da sigla, integrantes da legenda publicaram cartilha com 13 orientações para o pleito

Erich Decat, Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 17h59

Diante do acirramento dentro do partido a 17 dias das eleições que escolherão o novo presidente do PT, integrantes da legenda publicaram uma cartilha para "fiscalizar" os próprios petistas.

No próximo dia 10 de novembro, o atual presidente do PT, Rui Falcão, tentará ser reeleito para o comando do partido numa disputa que também contará com outros cinco candidatos: Markus Sokol, Paulo Teixeira, Renato Simões, Serge Goulart e Valter Pomar.

A briga interna levou integrantes da corrente Mensagem, que tem como candidato o deputado federal Paulo Teixeira (SP), a convocar a militância para desempenharem as seguintes tarefas: "mobilização, fiscalização e apuração!"

"Politizamos o debate interno, tivemos a ousadia de querer mudar o PT! Agora, precisamos garantir que a democracia das urnas prevaleça e que represente a grandeza do nosso partido. As tarefas agora são: mobilização, fiscalização e apuração!", diz trecho da nota distribuída entre os petistas intitulada "13 orientações para a fiscalização militante"

No item onze do documento, os integrantes da corrente são diretos. "O recurso de uma ata que foi fraudada deve ser feito imediatamente. Pouca coisa pode ser feita depois do resultado divulgado".

Há também orientações sobre o horário de chegada e saída dos militantes e em relação à possíveis "tumultos" criado pelos próprios petistas no dia da votação.

"No local onde teremos grande votação, é preciso garantir um bom acompanhamento. Ter bastante material e não deixar que alguma chapa crie tumultos que impeçam a votação".

O corrente também determinar para se ficar atento no transporte de filiados.

"De acordo com o Regulamento do PED, somente será permitido transporte de filiados quando promovido exclusivamente pela instância partidária. Fique atento ao fiscalizar!", diz trecho do documento.

No início de setembro, o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) acusou a direção da legenda de compra de votos para a reeleição de Rui Falcão. Segundo ele, milhares de filiados passaram a estar aptos a votarem na eleição de novembro após o pagamento de antigas dívidas feitas de forma suspeita.

Confira a íntegra das orientações:

13 orientações para a fiscalização militante

A Mensagem ao Partido já obteve uma grande vitória política. Politizamos o debate interno, tivemos a ousadia de querer mudar o PT! Agora, precisamos garantir que a democracia das urnas prevaleça e que represente a grandeza do nosso partido. As tarefas agora são: mobilização, fiscalização e apuração!

1- Não se esqueçam de credenciar os fiscais até o dia 28! O fiscal pode votar na cidade em que for fiscalizar. Isso garante que ele tenha legitimidade para acompanhar o PED em qualquer cidade e que poderá votar em trânsito! Clique aqui para ler a parte do Regulamento sobre o cadastro e a participação do fiscal

2-É preciso organizar uma planilha estadual que contenha informações sobre todos os municípios que organizarão eleições internas.

3-É preciso ter prioridade na fiscalização dos municípios onde não há disputa. O ideal é fiscalizar todos os municípios.

4-Não podemos nos esquecer que são 4161 urnas de votação. É preciso verificarmos cada local de votação nas cidades. O local de votação, deve ser o local que foi credenciado e divulgado.

5-Os fiscais precisam chegar no local de votação e ficar de 9h às 18h, anotar o resultado e se possível, fotografar a ata e enviar para a central de acompanhamento estadual, que irá verificar se a ata que chegou até a apuração é a mesma que saiu do local de votação.

6-Ao terminar as apurações locais, enviar os boletins paramensagemapura@gmail.com para o nosso controle nacional.

7- De acordo com o Regulamento do PED, somente será permitido transporte de filiados quando promovido exclusivamente pela instância partidária. Fique atento ao fiscalizar!

8- No caso de não haver a votação no local previsto, registrar a ocorrência junto à nossa central estadual e nacional. Instrua bem os fiscais.

9- No local onde teremos grande votação, é preciso garantir um bom acompanhamento. Ter bastante material e não deixar que alguma chapa crie tumultos que impeçam a votação.

10- Na central da apuração interna da Mensagem, é preciso ter os contatos de todos os fiscais e acompanhá-los sempre por telefone, até o horário do fechamento das urnas.

11- O recurso de uma ata que foi fraudada deve ser feito imediatamente. Pouca coisa pode ser feita depois do resultado divulgado.

12- Muita gente vai para o PED sem saber em quem votar. Nos grandes locais de votação, caprichar na boca de urna, nos materiais e cartazes.

13- Para o sucesso de todas essas iniciativas, precisamos da garra, da militância, da vontade, da ousadia e da energia de todos e todas os/as militantes da Mensagem ao Partido, por um PT mais democrático e socialista!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.