Sebastiao Moreira|EFE
Sebastiao Moreira|EFE

Petistas comemoram habeas corpus em favor de Dirceu

Presidente do PT diz esperar que STF liberte outros nomes do partido, como Vaccari e Palocci; procurador da República fala em ‘destruição’ da Lava Jato

Ricardo Galhardo e Ricardo Brandt, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2017 | 00h09

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acatar o habeas corpus em favor do ex-ministro José Dirceu foi motivo de comemoração no PT. Integrantes do partido avaliam que a decisão pode se estender para outros petistas que estão em prisão preventiva por ordem do juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância.

“Saudamos a decisão do Supremo Tribunal Federal de libertar José Dirceu e esperamos que a mesma decisão se estenda ao companheiro João Vaccari”, afirmou o presidente do PT, Rui Falcão, em referência ao ex-tesoureiro do partido.

Além de Vaccari, preso desde abril de 2015, o ex-ministro Antonio Palocci continua preso e já deu indícios que pode negociar um acordo de delação premiada.

Para os petistas, a decisão do STF representa a volta da normalidade democrática. 

“Felizmente o STF está criando juízo. Espero que com esta decisão a gente volte ao estado de direito”, disse Jorge Coelho, um dos vice-presidentes do PT.

O deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), líder do partido na Câmara, a decisão tomada uma semana antes do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ter impacto político e determina os limites da Lava Jato. “Sempre tem um impacto que é mostrar que eles (procuradores) não podem fazer tudo o que querem. Tem que ter um limite”, afirmou.

Ministério Público. Em Curitiba, onde fica a força-tarefa da operação, a decisão foi recebida com críticas. “O que está acontecendo é a destruição lenta de uma investigação séria. Infelizmente acreditam que a população não está mais atenta, talvez anestesiada pela extensão da corrupção”, afirmou O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima.

Ele lamenta que o Supremo não tenha considerado os fatos apresentados em nova denúncia contra o ex-ministro na decisão desta terça-feira, 2. “Esperamos que o período dele (Dirceu) fora da prisão seja curto”, disse Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.