Petistas buscam fórmula para deter 'blocão' na Câmara

O PT deflagrou um movimento para tentar impedir a formação de blocos parlamentares na Câmara a fim de facilitar as negociações da futura presidente, Dilma Rousseff, no Congresso e se manter como a maior força na disputa com o PMDB por espaços na Casa. O PT já avisou a cúpula do PMDB que assinará o acordo pelo qual dividirão o comando da Casa nos próximos quatro anos, mas quer o fim do "blocão".

AE, Agência Estado

01 Dezembro 2010 | 11h02

O PMDB tem reiterado a disposição de formalizar um bloco com PR, PTB, PP e PSC, para reunir 202 deputados. O megabloco, com 55 deputados a menos do que a maioria absoluta da Casa, poderá deixar Dilma refém do interesse desses partidos.

Para o governo, é mais fácil aparar arestas com cada partido do que negociar com a quase maioria da Casa para aprovar projetos e as reformas constitucionais. O "blocão" atrapalha também as pretensões do PT. O partido ficaria isolado e sem o poder de escolher presidências de comissões importantes na Casa.

Líderes do "blocão" não atenderam ao apelo do PT em reunião, ontem, com petistas e o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP). "Vamos montar o bloco. Não há intenção de confronto. Fortalece os partidos menores", disse o líder do PP, João Pizzolatti (SC). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Dilma transição PMDB PT bloco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.