Petista preside CPI do Cachoeira nesta semana

Senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da comissão, está de licença médica e deputado Paulo Teixeira (SP) assume trabalhos

Agência Senado

04 de junho de 2012 | 12h39

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) vai comandar a reunião desta terça-feira, 5, da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) mista que investiga Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Ele é o vice-presidente da CPI e assume a função porque o presidente, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), passará a semana de licença médica depois de fazer um cateterismo no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na última sexta-feira, 1º.

 

De acordo com a assessoria do senador, o exame “descartou qualquer problema em suas artérias”, mas Vital ainda foi submetido a outros dois exames no sábado: uma ultrassonografia de avaliação das carótidas (artérias que irrigam o cérebro) e outra ultrassonografia para controle da região da artéria femural, onde foi feita a pulsão para o cateterismo.

 

Por recomendação médica, Vital do Rêgo vai passar a semana descansando em Campina Grande, interior da Paraíba, e só deve retomar suas atividades no Senado depois do feriado de Corpus Christi.

 

Depoimentos. Nesta terça, a CPI do Cachoeira deve ouvir quatro pessoas supostamente ligadas ao esquema comandado por Cachoeira. São elas Eliane Gonçalves Pinheiro, ex-chefe de gabinete do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB); Walter Paulo Santiago, empresário para quem Perillo teria vendido uma casa de luxo em Goiânia; e Sejana Martins e Écio Antônio Ribeiro, sócios da Mestra Administração, que teria sido usada como laranja na negociação do imóvel.

 

Nesta casa, Carlinhos Cachoeira foi preso durante a operação Monte Carlo, da Polícia Federal, e há suspeitas de que ele seria o verdadeiro comprador, com Walter Paulo Santiago operando como intermediário para esconder a transação. No Registro Geral de Imóveis, a casa está no nome da Mestra Administração.

 

Conselho de Ética. Também na terça-feira, às 10h, o Conselho de Ética do Senado tem reunião marcada para apreciar requerimentos ligados ao processo por quebra de decoro parlamentar de Demóstenes Torres (ex-DEM-GO). Entre eles está o pedido de perícia nos áudios da operação Monte Carlo feito pelo advogado do senador, Antonio Carlos de Almeida Castro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.