Petista entrou com representação contra FHC e Eduardo Jorge em 1998

Em junho de 1998, Lula fez uma gravíssima acusação: disse que o presidente FHC tinha privatizado a Telebrás para arrecadar recursos ao caixa 2 de sua campanha à reeleição. O petista nunca comprovou a acusação. No mesmo mês, Lula e o PT entraram com representação contra FHC e o secretário-geral da Presidência, Eduardo Jorge Caldas Pereira. Por anos, Eduardo Jorge foi acusado pelo partido e pelo procurador Luiz Francisco de Souza - de quem depois se comprovaria que era filiado ao PT - até ser inocentado pela Justiça.No primeiro semestre de 1997 fitas gravadas indicaram que deputados do Acre teriam sido subornados pelo então governador Orleir Cameli para votar a emenda da reeleição. O caso se circunscrevia ao Acre, mas Lula lançou no ar uma suposição que a amplificava: ''''Se um deputado do Acre custou R$ 200 mil, imagine quanto custou um deputado de Estado grande.'''' Até hoje os petistas omitem a compra de votos dos deputados acreanos - na qual não se comprovou qualquer influência de FHC ou do PSDB - e falam na ''''compra de votos da reeleição''''.CPI E IMPEACHMENTEm 8 de julho de 1999, sem nenhuma eleição à vista, Lula anunciou que o PT definira duas agendas para o segundo semestre daquele ano: uma era ''''investir tudo'''' numa CPI para investigar a privatização da Telebrás; outra era tentar novamente instaurar um processo de impeachment contra FHC. Lula foi questionado se a ação política do PT não se resumia a atos radicais. ''''Mais grave é a incapacidade do presidente de tomar decisões'''', respondeu.Em outubro de 1999, ao discursar para sem-terra em Brasília, Lula pediu a renúncia de FHC - e a eleição seguinte só viria 36 meses depois. A seu lado, José Dirceu, presidente do partido, anunciou uma série de manifestações contra o governo, que culminariam em uma greve geral nacional em novembro. Em março e em julho de 2000, o PT voltaria a ingressar com novas denúncias para requerer o impeachment de FHC.Em maio de 2001, Lula acusou FHC de se envolver ''''pessoalmente'''' com corrupção, ''''ao utilizar verbas do governo para impedir a CPI da Corrupção''''. ''''Até ontem, não tinha ouvido ninguém envolver o presidente diretamente. Quando ele assume para si a coordenação política da operação abafa, ele se envolve pessoalmente'''', disse Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.