Pesquisa Vox Populi mostra Dilma com 40% e Serra com 35%

Levantamento, que mostra ainda Marina Silva com 8%, repete números apurados em pesquisa divulgada na semana passada pelo Ibope

Daniel Bramatti/SÃO PAULO - O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2010 | 20h17

Pesquisa do Instituto Vox Populi divulgada ontem pelo Jornal da Band mostra a petista Dilma Rousseff na liderança da corrida presidencial, com 40% das intenções de voto. O tucano José Serra aparece com 35%, seguido por Marina Silva, do PV, com 8%. Os demais candidatos somaram 1%.

 

Os números de Serra e Dilma são idênticos aos de levantamento do Ibope divulgado na semana passada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em maio, o Vox Populi havia detectado um empate técnico entre os dois principais concorrentes – 38% para a ex-ministra da Casa Civil e 35% para o ex-governador de São Paulo.

 

Em pouco mais de um mês, segundo o Vox Populi, Dilma cresceu 7 pontos porcentuais na Região Nordeste, seu principal reduto eleitoral, onde lidera por 52% a 27%. Ela também está à frente no Norte (39% a 33%).

 

Serra colhe seus melhores resultados no Sul, onde lidera por 44% a 33%. No Sudeste, o tucano tem 37% contra 34%, o que caracteriza empate técnico. O mesmo ocorre no Centro-Oeste, onde Serra e Dilma aparecem com 42% e 41%, respectivamente.

 

Na divisão da população por renda, a petista vai melhor entre os que recebem até um salário mínimo, faixa em que vence por 45% a 32%. Entre os eleitores que ganham mais de cinco salários, o tucano lidera por 40% a 33%.

 

Confronto direto. Em um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, a petista venceria por 44% a 40% se a eleição fosse hoje, de acordo com o Vox Populi. Há pouco mais de um mês, a simulação de confronto direto indicava resultado de 40% a 38%, respectivamente.

 

A candidata do PT também lidera de forma isolada a pesquisa espontânea – na qual os entrevistados manifestam suas preferências eleitorais antes de ver a lista de candidatos. Nessa modalidade, Dilma aparece com 26%, com 6 pontos porcentuais de vantagem sobre o principal adversário.

 

Efeito televisão. Tanto a pesquisa do Ibope, de 18 a 21 de junho, como a do Vox Populi, de 24 a 26 de junho, foram feitas em um período de alta exposição de Serra na mídia. O tucano teve papel destacado nos programas partidários do PPS, do PSDB e do PTB, que ocuparam o horário nobre da televisão nos dias 10, 17 e 24, respectivamente.

 

Líderes do PSDB esperavam que, com as propagandas dos partidos aliados concentradas neste mês, Serra subisse nas pesquisas, como aconteceu com Dilma em maio.

 

Não tão conhecida como Serra, a candidata do PT ganhou impulso após aparecer no programa do PT, no mês passado, ao lado de seu principal cabo eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.