Pesquisa reflete apenas o momento, avalia Rigotto

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto(PMDB), pré-candidato à Presidência da República, avaliou nesta terça-feira que as pesquisas sempre refletem o momento, ao comentar a mais recente sondagem CNT/Sensus sobre a corrida ao Planalto. Em um dos cenários em que seu nome foi incluído na consulta, Rigotto recebeu 2,5% das intenções de voto.O governador ressaltou que ainda não conhecia os números e previu que em maio ou junho "vamos ter o jogo sendo jogado". Rigotto disse que está "começando a caminhada" e, se vencer a prévia do PMDB - que disputará contra o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho no dia 19 de março -, terá mais exposição na mídia. Para o governador, o panorama das pesquisas irá mudar rapidamente depois do início efetivo das campanhas e do equilíbrio de espaço na imprensa.Ele disse que alguns pré-candidatos têm seus passos acompanhados pela mídia e citou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "está todos os dias nos meios de comunicação". Ao avaliar que não conta com o mesmo espaço, Rigotto considerou que este aspecto "distorce" a situação. Ele voltou a lembrar que venceu a eleição para o governo gaúcho em 2002, mesmo tendo iniciado a campanha com 2% nas pesquisas.Rigotto concordou com a recomendação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que sugeriu humildade aos candidatos. "Quem pensa que olha uma pesquisa e, porque está na frente, esta situação está cristalizada está totalmente equivocado", disse.O governador reiterou que acredita no fim da polarização entre PT e PSDB na disputa. "A polarização vai ser quebrada ali adiante." Os comentários foram feitos depois que Rigotto assistiu a uma apresentação das ações desenvolvidas pela Secretaria da Agricultura durante os três primeiros anos de sua administração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.