Iara Morselli/Estadão; Alex Silva/Estadão e Adriano Machado/ Reuters
Iara Morselli/Estadão; Alex Silva/Estadão e Adriano Machado/ Reuters

Quaest em SP: Haddad tem 24%; França, 18%; Tarcísio, 9%; Boulos, 7%

De acordo com pesquisa Quaest/Genial, a disputa pelo governo de São Paulo é liderada por Fernando Haddad, seguido por Márcio França, Tarcísio Freitas e Guilherme Boulos

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2022 | 09h57
Atualizado 17 de março de 2022 | 15h26

O pré-candidato ao governo de São Paulo e ex-ministro da Educação Fernando Haddad (PT) se mantém na liderança das intenções de voto para a disputa ao Palácio dos Bandeirantes, mostra pesquisa da consultoria Quaest financiada pela Genial Investimentos divulgada nesta quinta-feira, 17. No levantamento estimulado, o petista foi escolhido por 24% dos entrevistados em um dos cenários testados, seguido pelo ex-governador Márcio França (PSB), com 18%, pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (sem partido), com 9% e por Guilherme Boulos (PSOL), com 7%.

O atual vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), apoiado pelo presidenciável João Doria (PSDB), aparece na sexta colocação, com 3% das intenções de voto, empatado com a presidente do Podemos e deputada federal Renata Abreu

Em outros cenários testados, sem a presença de candidatos que disputam o voto da esquerda, como França e Boulos, Haddad cresce na primeira posição e se distancia dos demais candidatos, alcançando até 35% das intenções de voto, contra 15% do candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, Tarcísio de Freitas. 

Na pesquisa espontânea, em que o entrevistado não recebe uma lista de nomes para escolher um candidato, 76% disseram ainda não ter decidido em quem votar.

A pesquisa também mostra Haddad à frente no segundo turno em todos os cenários em que ele é citado. Segundo o levantamento, que entrevistou 1,6 mil pessoas, o petista venceria Rodrigo Garcia com 41% ante 25% das intenções de voto, e Tarcísio de Freitas, com 42% ante 27%. A disputa mais apertada seria contra Márcio França, com Haddad vencendo por apenas 5 pontos porcentuais.

O levantamento foi realizado entre 11 e 14 de março e estipula margem de erro de dois pontos percentuais. 

Na pesquisa espontânea, em que o entrevistado não recebe uma lista de nomes para escolher um candidato, 76% disseram ainda não ter decidido em quem votar.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.