'Pesquisa pra valer é a de dezembro de 2010', diz Lula

Levantamento da CNT/Sensus desta segunda-feira mostra melhor avaliação do governo desde janeiro de 2003

Leonencio Nossa, de O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2008 | 16h43

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não escondeu a satisfação com o resultado da pesquisa CNT/Sensus, que trouxe o maior índice de aprovação do governo desde janeiro de 2003, quando Lula assumiu o governo,e a melhor aprovação do desempenho pessoal do presidente desde dezembro de 2003. Ao descer a escada do terceiro andar, onde está o seu gabinete, para o segundo andar, onde participa da solenidade de operação da Timemania, ele foi abordado por repórteres sobre o levantamento.   Veja também: Serra lidera intenções de voto em 2010, diz CNT/Sensus Crise dos cartões afeta, mas não define popularidade de Lula CNT/Sensus mostra otimismo com indicadores sociais A avaliação do governo Lula  Íntegra da pesquisa    "Pesquisa pra valer pra mim, é a de dezembro de 2010", disse o presidente sorrindo. Lula desde que assumiu o governo em 2003 sempre evitou fazer comentários sobre pesquisas de opinião pública. Foi assim em momentos de popularidade como agora e de desgaste da imagem como na crise do mensalão em 2005. A uma pergunta sobre a situação do ministro do Trabalho, Carlos Luppi, e o pedido da Comissão de Ética para demiti-lo, Lula disse que "não tem sugestão(demiti-lo). Hoje o assunto é futebol".   Mas questionado se a Timemania, loteria da Caixa Econômica Federal, que beneficiará clubes de futebol com dívidas com a União, não é um reconhecimento a clubes que cometeram erros e a cartolas corruptos, o presidente, que já se dirigia ao salão onde ocorre a solenidade, não retornou para responder. Ele estava acompanhado de Pelé e do presidente da Confederação Brasileira Futebol, Ricardo Teixeira.     Pesquisa   A avaliação positiva do governo de Luiz Inácio Lula da Silva subiu de 46,5% para 52,7% em janeiro, segundo a pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira, 18. O valor é o maior desde janeiro de 2003. Ao mesmo tempo, a avaliação regular caiu de 35,9% para 32,5%, enquanto a negativa ficou em 13,7%.     Além disso, a aprovação de Lula cresceu para 66,8%, a melhor desde dezembro do mesmo ano. Segundo os dados, os rumos da economia e os programas sociais do governo explicam a popularidade do presidente. A desaprovação de Lula caiu, de 32,5% para 28,6%.   A pesquisa foi feita entre os dias 11 e 16 de fevereiro e entrevistou 2 mil pessoas nas cinco regiões do País. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Tudo o que sabemos sobre:
CNT/Sensus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.