Pesquisa põe deputado na corrida em SP

Alckmin seria eleito, segundo sondagem tucana, mas Ciro é aliado de Lula mais competitivo

Julia Duailibi, O Estadao de S.Paulo

11 de agosto de 2009 | 00h00

Pesquisa contratada pelo PSDB de São Paulo mostra que o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) é atualmente o candidato, aliado ao governo federal, mais competitivo na disputa contra os tucanos pelo Palácio dos Bandeirantes em 2010. A sondagem mostra também que Geraldo Alckmin (PSDB), ex-governador e atual secretário estadual de Desenvolvimento, seria o vitorioso, com ampla vantagem, se a eleição fosse hoje.Alckmin é o vencedor em cada um dos 13 cenários de primeiro turno apresentados na pesquisa. O desempenho do tucano chega a alcançar 64,31% dos votos válidos (excluídos os brancos e nulos). O secretário-chefe da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira, outro nome cotado para disputar o governo paulista pelo PSDB, tem desempenho mais fraco. No melhor cenário, quando Alckmin não aparece, Aloysio chega a 5,48% das intenções de voto.A pesquisa foi realizada pelo Instituto Opinião, entre os dias 12 e 19 de julho. Foram aplicados 1.245 questionários em todo o Estado. A margem de erro é de 2,8 pontos porcentuais. Os dados mostram que não está no PT, da ex-prefeita Marta Suplicy, a ameaça para tirar das rédeas tucanas o governo do Estado, administrado pelo PSDB desde 1995. Ciro, que se reúne amanhã com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a cúpula do PSB para resolver se sairá candidato ao governo paulista com o apoio do PT, chega a 58,23% dos votos válidos, no cenário em que o candidato tucano é Aloysio - é nessa simulação que o secretário da Casa Civil apresenta seu melhor desempenho (5,48%).Nesse cenário, o candidato petista é o ex-ministro da Fazenda e deputado Antonio Palocci Filho, que chega a 15,87% dos votos válidos, em empate técnico com a subprefeita da Lapa, Soninha Francine, que alcança 16,92% dos votos válidos. Em nenhuma das simulações, Ciro perde para um candidato petista - Marta, Palocci e o prefeito de Osasco, Emídio de Souza. É justamente o PT paulista que apresenta maior resistência a apoiar o nome do deputado. A cúpula petista, no entanto, já se dobrou à orientação de Lula a favor de Ciro. Com o apoio ao PSB, Lula pretende fortalecer a aliança em torno da sua candidata à Presidência, a ministra Dilma Rousseff.O deputado, que aparece com baixa rejeição na pesquisa, perde, no entanto, para o prefeito paulistano, Gilberto Kassab (DEM), em todos os cenários. Kassab chega a alcançar 46,99% dos votos válidos quando Alckmin não está na disputa. Quando o tucano aparece, Kassab varia entre 12,52% e 17,52%, sempre atrás de Alckmin, que derrotou na disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2008. Kassab aumenta seu cacife político com o desempenho, mas o prefeito sustenta que não pretende concorrer ao Palácio dos Bandeirantes nesta eleição.NINHO TUCANOCópias da pesquisa, que tem circulado nas mãos de tucanos paulistas, animaram os entusiastas da campanha de Alckmin. Eles acham que o favoritismo inconteste do ex-governador ajuda a enterrar as pretensões do grupo de Aloysio, que pretende lançá-lo na disputa.O secretário da Casa Civil tem boas relações com todos os partidos que compõem a base aliada do governador José Serra (PSDB) na Assembleia paulista. Conta com a simpatia dos principais nomes do DEM paulista, entre os quais Kassab.No PT, o candidato com melhor desempenho é Marta, que chega a 17,54% quando disputa com Kassab (42,69%) e Ciro (34,41%). Palocci, no melhor cenário, tem 15,87%, na disputa com Ciro (58,23%), Soninha (16,92%) e Aloysio (5,48%). Emídio aparece com o porcentual mais alto de 2,28%, contra 44,94% de Kassab, 36,61% de Ciro, 10,62% de Soninha e 3,27% de Aloysio Nunes Ferreira.SEGUNDO TURNONa simulação de segundo turno, Alckmin vence em todos os cenários. Alcança 66,27% das intenções de voto contra Marta Suplicy, que aparece com 15,74%. E chega a 63,61% contra Ciro, que fica com 18,88%. O deputado do PSB venceria o segundo turno se a disputa fosse com Aloysio. Ficaria com 54,22% das intenções de voto contra 6,43% do tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.