Pesquisa mundial aponta Kerry como preferido ante Bush

O jornal canadense La Presse promoveu uma pesquisa de opinião em escala mundial sobre os candidatos à presidência americana, o republicano George W. Bush e o democrata John Kerry. Participaram da iniciativa também jornais de México, Espanha, Inglaterra, França, Rússia, Israel, Japão, Austrália e Coréia do Sul. O resultado foi trágico para Bush. Os eleitores de oito dos dez países participantes querem ver o candidato democrata derrotar o presidente americano nas eleições do mês que vem. Na França, Bush teve apenas 13% dos votos contra 72% para Kerry. Na Espanha, o atual presidente americano manteve o mesmo índice, mas o candidato democrata conseguiu a simpatia de apenas 58% dos pesquisados. No Canadá e no México, o candidato republicano teve uma melhora sensível no seu índice de preferência, 20%. Nos países da coalizão liderada pelo EUA, Kerry supera Bush numa razão de dois votos para um na Inglaterra, no Japão e na Austrália. Até a Coréia do Sul rejeita o presidente americano, que obteve 18% da preferência, contra 68% para Kerry.As únicas exceções são os israelenses, que apóiam Bush numa razão de dois votos para cada um de Kerry e vêem os EUA como seu abrigo de segurança, e os russos que, apesar de seu tradicional antiamericanismo, registraram inesperadas atitudes favoráveis em favor do país na pesquisa conduzida logo após a tragédia de Beslan.A maior parte dos pesquisados enfatiza que não vê nada de bom em Bush, mas em compensação gostam dos EUA. Para um país como a Inglaterra, por exemplo, a democracia americana parecia, antes de Bush, um modelo para os outros países. Hoje, como sublinha o The Guardian, a mentalidade mudou: uma maioria de britânicos deixou de ver nos EUA um modelo ideal a ser seguido por outros países.Em média, 57% dos entrevistados têm hoje uma opinião pior sobre os EUA do que há três anos, quando começou o mandato de Bush. "Nós gostamos dos americanos. Só não gostamos do Bush", escreveu o jornal britânico no título de sua reportagem sobre a pesquisa. Diante da pergunta "Os EUA tiveram razão de invadir o Iraque?", só um país respondeu sim, que foi Israel, com 68%. Todos os outros responderam não: Coréia do Sul (85%), México (83%), Espanha (80%), França (77%), Japão (71%), Canadá (67%) e Rússia (54%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.