Pesquisa mostra que mulheres preferem parto normal

Ainda há quem argumente que se faz muita cesárea no Brasil porque as mulheres pedem o procedimento. Mas uma pesquisa mostra que a crença popular não corresponde à realidade. As mulheres, tanto as atendidas no serviço público quanto no privado, preferem parto normal.Depois de entrevistar 1.136 gestantes, entre 18 e 40 anos, a pesquisadora Kristine Hopkins, do Centro de Estudos de População da Universidade do Texas nos Estados Unidos, constatou que de 70% a 80% delas dão preferência ao parto normal. As mulheres foram selecionadas em serviços de saúde públicos e privados de quatro capitais brasileiras - São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Natal.Mesmo com essa alta taxa de preferência entre as mulheres, Kristine constatou que 31% das atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) fizeram cesáreas. Essa porcentagem sobe quando consideradas apenas as mulheres atendidas em hospitais particulares: 72% delas fizeram cesáreas. "Há muitas cesáreas sendo feitas no Brasil sem o desejo da mulher e sem necessidade", afirma Kristine, que pesquisa o assunto no País desde 1994.O obstetra José Geraldo Lopes Ramos, vice-presidente da região sul da Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), destaca que o parto normal proporciona benefícios para o bebê e a gestante. "Bebês nascidos de cesárea estão mais sujeitos a dificuldades respiratórias nas primeiras horas de vida." Os nascidos de parto normal têm mais facilidade para serem amamentados logo.Para a mulher, o parto normal provoca menos sangramento do que a cesárea, além de garantir recuperação mais rápida. São 10 dias de pós-parto para o normal, contra 30 para a cesárea. "Temos de resgatar os benefícios do parto normal. A cesárea tem indicação precisa para determinados casos", diz Ramos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.