Marcos Correa/Presidência da República
Marcos Correa/Presidência da República

Pesquisa indica que 72% dos brasileiros não apoiam indicação de Eduardo para embaixada

Maioria dos ouvidos por levantamento da CNT/MDA afirmou que o presidente não deveria nomear membros da sua família para cargos deste tipo

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2019 | 12h08
Atualizado 27 de agosto de 2019 | 09h47

BRASÍLIA - A provável indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, para assumir a embaixada do Brasil em Washington, Estados Unidos, não tem apoio da população. De acordo com pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira, 72,7% consideram a indicação inadequada porque acreditam que o presidente não deveria nomear membros da sua família para cargos deste tipo.

Apenas 21,8% dos entrevistados disseram que a indicação, prometida por Bolsonaro, é adequada porque o presidente tem a prerrogativa de indicar qualquer pessoa para o posto. Outros 5,5% não souberam ou não quiseram responder. 

Na semana passada, o Estado mostrou que Eduardo Bolsonaro não teria o mínimo de 41 votos no plenário do Senado para ser aprovado para o comando da representação diplomática mais importante do País no exterior. 

Para a pesquisa CNT/MDA, foram realizadas 2.002 entrevistas, entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.