Pesos diferentes para BH e SP

O governador Aécio Neves usa pesos diferentes para tratar a eleição municipal em São Paulo e em Belo Horizonte. Na capital paulista, estimula Geraldo Alckmin a concorrer à Prefeitura de São Paulo, prometendo ajuda na campanha, sob a alegação de que o PSDB precisa ter candidatos próprios; na capital das Alterosas, tem um acerto com o atual prefeito Fernando Pimentel (PT), seu amigo pessoal, segundo o qual os dois indicarão um candidato comum, mas que não seja ligado a nenhum dos dois.Quando o acordo ficou conhecido, choveram candidatos de todos os lados. Nenhum, no entanto, foi aprovado até agora. Nem adiantaria, porque Pimentel alegou que está tendo dificuldades em tornar o acordo aceitável dentro do PT. Os petistas resistem porque o partido mantém uma hegemonia de 16 anos - 4 gestões - à frente da Prefeitura de Belo Horizonte. Em 2006, a candidatura Geraldo Alckmin foi sacrificada em Minas, onde tucanos e petistas elegeram a chapa "Lulécio" (Lula e Aécio). À época, Pimentel ficou de fora da campanha de Nilmário Miranda, candidato do PT ao governo estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.