Pescadores participam de festival em Cáceres

Cerca de 1,2 mil pescadores em 400 barcos deram a largada neste domingo para a maior competição de pesca em água doce do mundo, o Festival Internacional de Cáceres (FIP), a 210 quilômetros de Cuiabá. A prova de pesca embarcada foi até às 16h e contou com a participação de pescadores da maioria dos Estados brasileiros e de cinco outros países.Para evitar acidentes na largada e proteger as margens do rio Paraguai, a organização limitou a velocidade dos barcos a 20km/h e permitiu a saída dos competidores em três baterias. Primeiro largaram os barcos com motores de potência superior a 60hp; logo em seguida os de potência entre 30hp e 60hp; e depois os de até 30hp.Vão ganhar os dois carros novos de prêmio as equipes masculinas e femininas que fizerem o maior número de pontos, a ser verificado de acordo com as espécies pescadas. Pacús e dourados, por exemplo, valem cem pontos, enquanto pintados e jaús, 80 pontos até chegar às corvinas e aos barbados, que não valem mais do que 10 pontos. Os segundos e terceiros colocados recebem um barco de alumínio com motor de 15hp e a equipe que fisgar o maior peixe leva uma lancha com motor. Os resultados só serão divulgados no final da noite de ontem.Cada peixe fisgado durante a prova é medido por um dos 180 fiscais. Biólogos da Universidade Estadual de Mato Grosso e técnicos da Fundação Estadual do Meio Ambiente prendem a cada exemplar uma identificação, antes de devolvê-lo ao rio. O objetivo da identificação é estudar posteriormente o movimento migratório das espécies e a viabilidade do sistema pesque-e-solte. Caso o peixe morresse até chegar ao barco, a equipe perderia 100 pontos.Adentrando o rio Paraguai por um braço que corre pela cidade de Cáceres, os pescadores chegam ao leito do principal rio do pantanal mato-grossense e podem pescar dentro de uma raia de 3,5 quilômetros de distância. Da modalidade "pesca de barranco", no sábado, participaram 1,2 mil crianças de 4 a 12 anos; e da pesca de canoa, no domingo anterior, 200 pescadores ribeirinhos.Paralelamente às competições de pesca, aconteceram feiras náuticas, de artesanato e de gastronomia, oficinas ambientais e culturais e torneios desportivos. A prefeitura de Cáceres realiza o festival há 21 anos. A partir desta segunda-feira, os organizadores já começam a se reunir para pensar como será o festival do ano que vem. Estima-se que este ano o festival tenha atraído 90 mil turistas, em nove dias de evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.