Pernambuco cobra verbas federais contra a seca

O governador de Pernambuco, Jarbas Vasconcelos (PMDB), quer que o Governo Federal libere os recursos da União, já previstos no orçamento deste ano, relativos a obras na área de recursos hídricos. "A prioridade na liberação desses recursos contribui para o fortalecimento da infra-estrutura do semi-árido, ao mesmo tempo em que dá emprego ao trabalhador", afirmou ele. Pernambuco tem três adutoras (Pajeú, Oeste e Jucazinho), no valor total de aproximadamente R$ 80 milhões, já contingenciados, e que irão beneficiar 40 municípios do agreste e do sertão. A água para as adutoras virá do Rio São Francisco e está garantida porque, como se destina ao consumo humano, não compromete o volume do rio mesmo em épocas secas. O governador pregou mudanças no método de atendimento aos trabalhadores. "É preciso dar educação e capacitação técnica ao trabalhador para o convívio com a estiagem", disse, condenando as frentes de trabalho instaladas nos programas de emergência e que "não levam a nada". Mesmo se dizendo contra o assistencialismo, Vasconcelos frisou que o Nordeste ainda não pode prescindir dele, sendo necessário o atendimento básico da emergência, com distribuição de cestas básicas e carros-pipa. As reivindicações do governador serão formalizadas na reunião desta quinta-feira, no Palácio do Campo das Princesas, com todos os governadores do Nordeste e o coordenador da Câmara Setorial Extraordinária de Convívio com o Semi-Árido, ministro do Desenvolvimento Agrário Raul Jungman. Até o momento, Pernambuco tem 56 municípios do sertão em estado de alerta e 2,2 milhões de pessoas afetadas pela seca - no sertão e no agreste. De acordo com a secretaria estadual de Produção Rural, 98% da agricultura do sertão (feijão, milho, algodão) foi perdida. Nenhum saque foi registrado neste ano, mas o clima é de tensão no interior pernambucano. Para atender às necessidades da região, o governo estadual mantém 411 carros-pipa abastecendo 65 municípios, num gasto mensal de R$ 1,2 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.