Perito da PF diz que dois políticos são suspeitos no caso Banestado

O perito da Polícia Federal, Eurico Monteiro Montenegro, confirmou hoje à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara que há dois políticos na lista de suspeitos de envolvimento com a evasão de US$ 30 bilhões, por contas CC-5, mas não citou nomes. O delegado José Francisco Castilho Neto ponderou que numa investigação ampla como esta, certamente aparecerão nomes de pessoas e empresas influentes. O desvio de recursos feito também pela agência do Banestado em Nova Yorque, reforçou a adesão dos partidos à instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o caso. Os delegados e peritos da Polícia Federal presentes evitaram mencionar nomes de políticos envolvidos. Na audiência, a maioria dos deputados presentes defendeu a instalação da CPI, considerando que os fatos já levantados são graves e merecem maior investigação pelo Congresso. Somente três partidos - PP, PDT e PCdoB - ainda não indicarem os deputados de suas legendas que integrarão a CPI. Segundo informou a Secretaria da Mesa, a instalação da comissão ainda não tem data marcada. O delegado Antônio Carlos de Carvalho, um dos responsáveis pelas investigações da evasão ilegal de dinheiro do País colocou em dúvida a necessidade da CPI, atitude que irritou a deputada Míriam Reid (PSB-RJ). "Já são seis anos de investigação, e a Polícia Federal não concluiu os trabalhos e ainda questiona o trabalho desta Casa de investigar e fiscalizar?", afirmou a parlamentar, defendendo a instalação da CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.