Perillo tem apoio do PSDB, diz Alvaro Dias

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), afirmou nesta quarta que o governador de Goiás, Marconi Perillo, tem o apoio do partido. A chefe de gabinete do governador, Eliane Gonçalves Pinheiro, pediu esta manhã demissão do cargo depois que investigações da Polícia Federal apontaram que ela repassava informações sigilosas de operações direcionadas ao empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

RICARDO BRITO, Agência Estado

04 de abril de 2012 | 18h34

Alvaro Dias telefonou nesta quarta pela manhã para o governador goiano. Segundo o líder, ele garantiu que não tem "nenhuma relação" com Cachoeira. Disse ainda que vai demitir todas as pessoas do governo dele que, porventura, aparecerem ligadas ao contraventor.

"Nós não podemos antecipar qualquer julgamento em relação a versões", afirmou o líder tucano, que mais uma vez criticou o que considera "vazamento seletivo orientado politicamente" das informações das investigações da PF.

Para Dias, as denúncias que envolvem o governo de Perillo não vão afetar a estratégia da campanha municipal tucana, especialmente a candidatura de José Serra em São Paulo. "A decisão do povo de São Paulo não terá nenhuma influência de Goiás. Não se pode transferir a responsabilidade a todos".

Ao longo do dia, o líder tucano conversou sobre a situação de Perillo com três senadores da bancada: Aloysio Nunes Ferreira (SP), Aécio Neves (MG) e Cyro Miranda (GO), que herdou no Senado o mandato de Perillo. A avaliação dos colegas é de que, após as gravações envolvendo o ex-líder do DEM Demóstenes Torres (sem partido-GO), o tucano foi escolhido como "alvo". Mas, por ora, o partido continuará dando-lhe total apoio. "Não podemos jogar aos leões alguém que não merece ser trucidado", afirmou um senador da bancada.

Tudo o que sabemos sobre:
Monte CarloGOPerilloÁlvaro Dias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.