Perillo 'duvida' que seu secretário tenha levado propina

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), disse nesta terça, na CPI do Cachoeira, duvidar que o secretário da Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, tenha recebido propina do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. "Eu duvido que o senhor Alexandre Baldy, rico como é, bem-sucedido como é, tenha aceitado propina de quem quer que seja", afirmou Perillo, em resposta à pergunta feita pelo relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG).

RICARDO BRITO, Agência Estado

12 de junho de 2012 | 13h44

Segundo Perillo, o patrimônio da família de Baldy é quase 15 vezes maior do que o de Cachoeira. O governador questionou a interpretação feita pela Polícia Federal nas interceptações telefônicas. Ele disse ainda que há uma relação de parentesco de Baldy com a família do contraventor.

O governador também afirmou que o secretário tem atuado no governo federal para obter recursos para o Estado. Perillo negou que o ex-vereador Wladimir Garcez (PSDB) tenha levado a ele qualquer pedido da construtora Delta ou de Cachoeira. O ex-vereador foi contratado pela empreiteira e por uma empresa do setor farmacêutico da família do contraventor. Perillo afirmou que Garcez também fez pedidos de contratação de pessoas, que alguns foram atendidos, mas sem precisar quantos e quais pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
CPICachoeiraPerillosecretário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.