Perillo diz que pode processar Dilma se ela não depuser

'Não estou ameaçando, só estou avisando que é esse o procedimento', diz o presidente de comissão

CIDA FONTES, Agencia Estado

16 de abril de 2008 | 18h04

O presidente da Comissão de Serviços de Infra-Estrutura (CI) do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), afirmou nesta quarta-feira, 16,  que, se a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff,  não atender à convocação até dia 6, a comissão entrará com um processo contra ela por crime de responsabilidade. "Não estou ameaçando", disse. "Estou só afirmando que é o procedimento para quem se nega a cumprir a convocação", completou. Veja também: Entenda a crise dos cartões corporativos  Oposição fura o cerco e Dilma terá de explicar dossiê no SenadoDossiê FHC: o que dizem governo e oposiçãoPF pede a governo dados sobre segurança da Casa CivilPF abre inquérito para apurar vazamento de dados de FHCDossiê com dados do ex-presidente FHC  Perillo informou ao líder do governo na Casa, Romero Jucá (PMDB-RR), que o Regimento Interno não permite a apresentação de um novo recurso na comissão para anular a aprovação do requerimento, aprovado na terça, que incluiu na fala de Dilma o suposto dossiê das despesas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com cartões corporativos.O presidente da CI do Senado instruiu a assessoria da comissão a preparar um parecer sobre o assunto. Segundo Perillo, o recurso só pode ser submetido ao plenário, uma vez que é matéria vencida na comissão. Mesmo assim, Jucá disse que prepara também um outro relatório para rebater o do presidente da CI. A intenção do líder do governo no Senado é restringir a audiência da chefe da Casa Civil na comissão às ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), objeto do primeiro requerimento aprovado. Embora tenha marcado para amanhã reunião da comissão, Perillo ameaça transferi-la para a próxima semana, se concluir que a guerra entre senadores de oposição e do governo poderá tornar inviáveis os trabalhos. Se confirmado o encontro, o presidente da CI quer realizar a sabatina do ex-subchefe de Articulação e Monitoramento da Casa Civil Bernardo José Figueiredo Gonçalves de Oliveira, indicado para o comando da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseffdossiê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.