Perícia da PF agrada aliados e adversários de Renan Calheiros

A perícia da Polícia Federal nosdocumentos apresentados por Renan Calheiros (PMDB-AL) aoConselho de Ética possibilitou leituras diferentes e agradoualiados e adversários do senador. Renan Calheiros responde a processo no Conselho de Ética doSenado por quebra de decoro parlamentar. O Conselho investigase despesas pessoais do senador, referentes à pensão da filhaque teve fora do casamento com a jornalista Mônica Veloso,foram pagas com recursos próprios ou pelo lobista daconstrutora Mendes Júnior. Para provar que tinha como arcar com as despesas, Renanapresentou documentos contábeis de venda de gado de suasfazendas em Alagoas, que foram analisados pela Polícia Federal. O laudo da perícia constatou a veracidade dos papéis, masnão foi conclusivo sobre a capacidade dos recursos de Renanpara os pagamentos a Mônica Veloso. Também foi verificadaincompatibilidade entre a variação patrimonial do senador e osrendimentos declarados ao Imposto de Renda. "O bom dessa perícia é que fornece argumentos para quemquer defender Renan", afirmou Wellington Salgado (PMDB-MG),aliado do presidente do Senado. "A perícia apresenta uma quantidade enorme deinconsistências. O senador Renan Calheiros tem muito o queexplicar ao Senado e à sociedade brasileira", afirmou RenatoCasagrande (PSB-ES), um dos relatores do processo contra Renanno Conselho de Ética. Na tarde desta quarta-feira, os três relatores do processo--Casagrande, Marisa Serrano (PSDB-MS) e Almeida Lima(PMDB-SE)-- se reúnem com o presidente do Conselho de Ética,Leomar Quintanilha (PMDB-TO), para determinar um cronograma detrabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.