Perícia da arma que teria matado Toninho será divulgada amanhã

A polícia de Campinas, que investiga o assassinato no prefeito Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT, ocorrido no dia 10 de setembro, divulga amanhã o resultado da perícia da pistola Luger de 9 milímetros, apreendida na última sexta-feira. A polícia suspeita que a arma pode ter sido usada para matar o prefeito.O suspeito Flávio Mendes Clara, que confessou ter efetuado os disparos contra o carro do prefeito na noite do crime, reconheceu a pistola entre outras quatro que lhe foram apresentadas pela polícia. Segundo o delegado seccional de Campinas, Osmar Porcelli, o resultado da perícia estava previsto para ser divulgado hoje, mas foi transferido para amanhã por problemas técnicos.De acordo com a polícia, parte da perícia será feita em Campinas mas o confronto de fotografias da arma e da bala que atingiu o prefeito será realizado no Instituto de Criminalística de São Paulo.Segundo Mendes Clara, a pistola usada no crime permaneceu com ele pelo menos uma semana depois do assassinato. Ele a trocou por um quilo e meio de maconha com um traficante de Mogi Mirim, cujo o nome a polícia não divulgou. Esse traficante foi assassinado há 15 dias. Porcelli comentou que bandidos que trabalhavam com o traficante acharam melhor entregar a pistola à polícia, através da advogada de Mendes Clara, Márcia Ribeiro.Somente a perícia poderá indicar se a pistola é ou não a arma do crime contra o prefeito, informou o delegado Porcelli. Depois do resultado da identificação, o delegado pretende concluir as acareações entre os suspeitos e promover a reconstituição do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.