Perícia analisará todo sistema de votação do Senado

O diretor de Consultoria Legislativa do Serviço de Processamento de Dados do Senado Federal (Prodasen), Dirceu Mattos, informou, no início desta tarde, que peritos da Polícia Federal levaram os sete discos rígidos originais do programa que comanda o sistema de votação eletrônica do plenário do Senado. Esses discos contêm dados sobre as votações desde setembro de 1999. Mattos explicou que o Prodasen vai ficar com uma cópia autenticada desses discos, até a conclusão da perícia pela Polícia, para saber se houve outras violações do painel além daquela referente à sessão de 28 de junho do ano passado, em que foi cassado o mandato do ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF). Com relação à existência de vestígios de listas de votação no computador de Ivar Ferreira, operador do sistema, ele afirmou que não são necessariamente indícios de violação do painel, mas que não estão descartadas nem a possibilidade de violação nem a de serem os vestígios da lista da votação secreta de 28 de junho do ano passado.Mattos admitiu que, se a perícia confirmar novas violações, isto poderá comprometer os depoimentos da ex-diretora do Prodasen, Regina Célia Borges, envolvida no episódio de violação do painel. "Parece que a alteração do programa foi feita pela primeira vez naquela ocasião para se ter acesso à lista", disse Mattos, que acredita que a nova perícia deve trazer poucas novidades. "A Unicamp fez uma perícia bastante criteriosa", lembrou ele. "Mas, de qualquer forma, esta é uma nova perícia", admitiu. Por determinação legal, a PF terá que apresentar os resultados dentro de 15 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.