'Perguntem a Rodrigo Maia', diz Temer ao ser questionado sobre sessão para votar cassação de Cunha

Os ministros José Serra, das Relações Exteriores, e Sarney Filho, do Meio Ambiente, também não quiseram se manifestar

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2016 | 12h26

BRASÍLIA - A ordem no Palácio do Planalto é tentar deixar a expectativa diante da votação da cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) "do outro lado da rua", ou seja, na Câmara. Questionado, ao final da cerimônia de ratificação do Acordo de Paris no Palácio do Planalto, sobre como estava acompanhando a "novela" em torno da votação do peemedebista, o presidente Michel Temer limitou-se a dizer: "Perguntem ao Rodrigo Maia", referindo-se ao presidente da Câmara, que estava ao seu lado. Os dois, entretanto, deixaram o salão sem responder a mais perguntas.

Os ministros José Serra (Relações Exteriores) e Sarney Filho (Meio Ambiente) também foram questionados durante coletiva de imprensa, por serem parlamentares afastados, se acreditavam que o caso Cunha teria desfecho nesta segunda-feira, 12. No entanto, nenhum dos dois quiseram se manifestar. "Prefiro não opinar sobre isso", disse Sarney. "Tenho a mesma opinião", completou Serra. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.