Perguntas que ficaram sem resposta

Os depoimentos prestados nesta quinta-feira durante acareação entre os senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) e a ex-diretora do Prodasen Regina Borges perante o Conselho de Ética do Senado continuaram sem esclarecer dúvidas que ocorrem a quem esteja acompanhando a investigação sobre a violação do painel eletrônico de votação do Senado. Veja algumas dessas dúvidas. 1 - O painel de votação foi violado por funcionários do Prodasen para que seconhecessem os votos secretos dos senadores. Se ninguém pediu a violação, por que ela foi feita?2 - O senador José RobertoArruda disse que ligaeia de volta para Regina Borges quando ela lhe disse ter um documento para lhe entregar, por volta das17h. Como ela poderia falar do documento só obtido após as 18h, quando o plenário se esvaziou?3 - Nem Antônio CarlosMagalhães nem Arruda admitem ter pedido a lista. Por que então Regina Borges entregou apenas aos dois o documento?4 - Enquanto ambos liam e comentavam a lista, Arruda pediu e ACM ligou para Regina, confirmando estar de posse da lista. Senenhum dos dois pedira a lista, por que ligar para ela mencionando seu recebimento?5 - Nem ACM nem Arruda assumemresponsabilidade sobre a violação. Por que então nenhum dos dois tomou providências para punir a ilegalidade praticada pelaex-diretora do Prodasen?6 - ACM e Arruda alegam preocupação com a manutenção da cassação de Luiz Estevão para nãorevelarem a violação. Por que não o fizeram depois de comprovada publicamente a violação?7 - ACM disse que rasgou a lista,logo após Arruda deixar seu gabinete. Por que disse aos procuradores da República que tinha a lista?8 - ACM e Arruda alegaramfalta de motivo para pedir a lista. Por que ACM usou informação contida na lista sobre o voto da senadora Heloiza Helena?9 ? Tanto Arruda quanto ACM e vários senadores fizeram elogios à dignidade e competência de Regina Borges. Por que elatrairia esses princípios para fazer uma violação que comprometerá sua carreira profissional?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.