Peres quer processar Jader por quebra de decoro

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) afirmou, ao fim do depoimento do senador Jader Barbalho (PMDB-PA), que vai pedir a abertura de um processo no Conselho de Ética contra o senador por quebra de decoro. Peres disse também que vai pedir que Barbalho seja julgado por abuso de prerrogativa e poder por ter retido por três meses e 17 dias requerimento do senador José Eduardo Dutra (PT-SE), sem colocá-lo em votação. No requerimento, Dutra pedia que o BC enviasse os relatórios sobre o desvio do Banpará ao Senado Federal mas os documentos só foram enviados depois que Jader se licenciou do Senado. Ainda durante depoimento, Jader Barbalho contestou todo o relatório do BC que o aponta como beneficiário no desvio de recursos do Banpará.O corregedor do Senado, Romeu Tuma (PPB-SP), disse que no depoimento prestado pelo presidente licenciado do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), este procurou em uma exposição preliminar convencer os integrantes do Conselho de Ética de que as acusações de seu suposto envolvimento em desvios de recursos do Banpará teriam por objeto um fato ocorrido antes de ele ter iniciado o seu mandato como senador.Tuma disse que tanto ele quanto outros senadores consideraram essa separação indevida, argumentando que o decoro acompanha a vida do político e, portanto, não se trata de apenas um decoro parlamentar, e sim, decoro político. Tuma disse ainda que não firmou nenhuma convicção com o depoimento de Jader e que terá que analisar as notas taquigráficas do depoimento e comparar as explicações dadas por Jader Barbalho com a auditoria feita pelo Banco Central sobre desvio de recursos do Banpará.Tuma disse ainda que o Conselho de Ética deverá enviar um ofício à Mesa do Senado pedindo informações sobre a razão de um requerimento do senador José Eduardo Dutra (PT-SE), que solicitava cópias de todos os relatórios do caso Banpará ao Banco Central, ter ficado retido pelo gabinete da presidência do Senado durante três meses. Segundo Tuma, Jader foi questionado sobre esse fato, uma vez que naquela oportunidade exercia a presidência do Senado.Jader respondeu que as providências para o envio de tal solicitação a órgãos do Poder Executivo são tomadas pela Mesa, e não pela presidência da Casa. Essa retenção do requerimento está sendo usada por Jefferson Peres como mais um indício de que Jader quebrou o decoro parlamentar. Por isso, Peres afirmou há pouco que qualquer que seja a decisão dos outros dois senadores que integram a comissão do Conselho de Ética que faz a investigação preliminar - além de Tuma, João Alberto (PMDB-MA) -, ele apresentará um voto em separado solicitando a abertura do processo.Tuma disse que vai aguardar as explicações da Mesa do Senado e que, se ficar provado que houve engavetamento premeditado pelo presidente do Senado, será motivo para abertura de processo de cassação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.