Peres promete reforçar Conselho de Ética do Senado

Ao formalizar a sua candidatura para a presidência do Senado, o senador Jefferson Peres (PDT-AM) disse que um dos princípios básicos da sua campanha é uma gestão democrática à frente da Casa, dando um papel relevante para o Conselho de Ética. Ele tentou tranquilizar os senadores afirmando que, apesar de representar renovação, "se vitorioso não haverá risco de perder o rumo por deslumbramento" uma vez que sua conduta será marcada pelos valores que sempre conduziram sua vida pública. Mas, se derrotado, disse que não se sentirá diminuído nem obrigado a ficar quieto.O senador disse que fará uma campanha discreta para "poupar constrangimentos àqueles que não querem e não podem votar em mim". Segundo ele, essa discrição é uma manifestação de respeito pelos colegas. Ele disse esperar que os votos representem uma reflexão crítica e uma tomada de consciência.O candidato do bloco de oposição ressaltou que aguarda também que os senadores votem, nesta eleição que ele considera atípica, inspirados nos grandes vultos que passaram pelo Senado. Citou como exemplo os senadores Rui Barbosa, Nereu Ramos, Milton Campos e Afonso Arinos, além de destacar a presença no Senado do governador de São Paulo, Mário Covas, que, embora não tenha sido presidente da Casa, "teve uma passagem notável de homem público e figura humana".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.