Pereira esquiva-se sobre arrecadação do PT com Valério

O ex-secretário do PT Sílvio Pereira esquivou-se quando os parlamentares lhe perguntaram sobre um plano da direção do partido para arrecadar R$ 1 bilhão, mencionado na entrevista que ele deu ao Globo.O senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) perguntou a Pereira: "O que o senhor quis dizer quando falou que as operações de Marcos Valério para arrecadar R$ 1 bilhão não deram certo?" A resposta do ex-dirigente do PT foi: "Não sei de onde tirei isso. Se foi da imprensa ou da minha cabeça"."O senhor tem problema de amnésia?", insistiu o relator. "Me nego a responder. A partir de agora me nego a responder a esse tipo de pergunta", afirmou Pereira.Nas respostas que precederam essa intervenção, Pereira disse que quem participava efetivamente das questões relacionadas a dinheiro no PT era apenas o então tesoureiro do PT, Delúbio Soares.Pereira reafirmou que, sobre a entrevista que deu ao Globo, não sabe se falou a verdade. "Não sei mais onde está a verdade". Ele repetiu a frase três vezes. "Não sei se o que eu falei é verdadeiro ou não é."Ele afirmou que não tinha conseguido ler a matéria publicada no jornal porque teria ficado com o estado emocional alterado. "Não li as notas, não li o jornal e não assisti a nenhum noticiário."Ele confirmou que conhecia o assessor do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, Rogério Buratti, com quem chegou a se encontrar em um hotel.Ele disse que nunca soube do destino do dinheiro que empresários de bingo teriam dado para a campanha do PT em 2002, conforme denúncia de Buratti. "Nunca soube desse dinheiro. Vim a saber pelo jornal ou por esta CPI. Nunca soube desse negócio de dinheiro e bingo".Texto atualizado às 13h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.