Pensão de dependente cai a R$ 1.058; paridade é mantida

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), reunido com o ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, e em contato por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fechou o texto do parecer do relator da proposta de reforma, José Pimentel (PT-CE), que será lido em seguida, no plenário da Câmara. A principal mudança será a redução da pensão dos dependentes dos futuros servidores, de R$ 2,4 mil para R$ 1.058,00, acrescidos de 30% da diferença entre esse teto e o benefício do servidor. Além disso, permanecem a paridade das aposentadorias em relação aos atuais servidores da ativa (ou seja: quando os servidores da atividade tiverem aumento, os aposentados também terão) e o subteto do Judiciário para os Estados, de 75% do salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.