Pena de assassinos do casal pode chegar a 50 anos

A primeira noite na prisão daestudante de Direito Suzane Louise von Richthofen, de 19 anos,do namorado Daniel Cravinhos de Paula e Silva, de 21, e do irmãodele, Christian, de 26, foi tranqüila. Ela fumou muito, chorou edisse às duas colegas de cela que estava com saudade do namoradoe queria ter notícias do irmão. Suzane divide o xadrez no Distrito Policial do Portal doMorumbi, na zona sul, com uma advogada presa por tráfico dedrogas e com Emília Danel Sarruf, de 44, acusada do assassinatodo marido, Sérgio Afif Sarruf, que era dono da loja Rei doArmarinho. Ela foi bem recebida pelas 11 detentas, que seinteressaram em saber os motivos que a levaram a planejar ocrime. Os irmãos Paula e Silva se encontram numa cela,separados dos demais presos, no Distrito Policial de SantaCecília, no centro. Eles jantaram na noite de ontem, tomaramcafé na manhã de hoje e perguntaram várias vezes ao carcereirose o pai que prometera arranjar dois advogados para defendê-losjá tinha chegado. Eles também não receberam nenhuma ameaça. Suzane, Daniel e Christian, que confessaram noDepartamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) oassassinato dos pais dela, o engenheiro Manfred Albert vonRichthofen, de 49, e a médica psiquiatra Marísia, de 50, poderãoreceber pena mínima de 24 anos e máxima que poderá chegar a 50anos. Julgamento Os três foram responsabilizados por duplohomicídio qualificado: premeditação, motivo torpe e não permitira defesa das vítimas. O julgamento deles deverá ocorrerpossivelmente antes do segundo semestre de 2003. Eles estão com prisão temporária decretada pela Justiçapor dez dias e deverão ter a prisão preventiva decretada napróxima semana, quando deixarão os distritos policiais. Suzanepoderá ser transferida para a Penitenciária Feminina da Capital,no Carandiru. Os dois irmãos seguirão para um dos dois Centrosde Detenção Provisória no bairro do Belém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.