Beto Barata/Estadão
Beto Barata/Estadão

Pena a Marcos Valério já soma mais de duas décadas

Publicitário ainda será julgado por mais três crimes cometidos no esquema do mensalão

O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2012 | 16h56

Após concluir a dosimetria das penas pelos crimes de corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha cometidos pelo empresário Marcos Valério no esquema do mensalão, o Supremo Tribunal Federal (STF) impôs até o momento mais de 20 anos de reclusão para o publicitário.

 

Nesta quarta-feira, segundo dia em que os ministros discutem as penas dos réus condenados, ficou decidido que Valério, considerado o principal operador do esquema, deverá cumprir 3 anos, 1 mês e 10 dias por corrupção relativa ao Banco do Brasil e à Visanet e 5 anos, 7 meses e 6 dias por peculato relativo à instituição financeira.

 

Na terça, o STF já havia imputado a ele as penas de 2 anos e 11 meses por formação de quadrilha, 4 anos e 1 mês por corrupção relativa à Câmara dos Deputados, e 4 anos e 8 meses por peculato relativo também ao Congresso, totalizando 20 anos, 4 meses e 16 dias.

 

O período de reclusão, porém, ainda vai aumentar, uma vez que o empresário também foi considerado culpado por mais um caso de corrupção ativa - relativo à base aliada do governo o início do primeiro mandato de Lula -, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

 

Intervenção. O advogado de Valério, Marcelo Leonardo, tentou intervir na dosimetria das penas na sessão desta quarta-feira ao pedir que a Corte revisse os critérios que vem sendo adotados. O defensor argumentou contra o uso do agravante de organização e controle de outros réus para outros crimes que não fossem formação de quadrilha e pediu que as várias acusações por corrupção ativa fossem consideradas como apenas um delito. As intervenções, porém, foram ignoradas pelo Supremo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.