Pelo menos 3 estão desaparecidos em naufrágio no Amazonas

A Capitania dos Portos de Rondônia prosseguiu neste domingo a busca de pelo menos 3 desaparecidos no naufrágio de um barco no sábado no rio Madeira, perto da cidade amazonense de Humaitá. A Delegacia Fluvial de Porto Velho, que havia anunciado dez mortos, corrigiu o número hoje, informando que os mortos foram 8.O acidente aconteceu nas proximidades da Ilha da Pupunha. Segundo a delegacia, a embarcação seguia pelo rio com destino à a Porto Velho, com cerca de 70 passageiros a bordo. Por causa do mau tempo, com chuva e vento forte, o barco foi atirado contra as pedras, na margem do rio, adernando e afundando, em seguida.O barco Orlandina havia saído de Manicoré e, quando faltava pouco mais de meia hora para chegar a Humaitá, o forte temporal levou a embarcação a pique, apesar de o nível do rio estar seco e estreito nesta época do ano. A maior parte das vítimas é de crianças, uma vez que o Orlandina estava quase todo ocupado por jovens e meninos que seguiam para participar do Encontro de Quadrilhas da Calha do Rio Madeira, evento que reúne praticantes de danças folclóricas da região. O comandante da Capitania dos Portos de Rondônia, Sebastião Coelho, acredita que a superlotação não foi o motivo do desastre. Os mortos no acidente são Fernanda Linda da Silva (3 meses), Josely Lago da Cruz (2 meses), Ismael Lins Lago da Costa (4 anos), Ilviel Monteiro Nunes (2 anos), Rafael Monteiro Neves (5 anos), Deive Teles Cunha (5 anos), Francisca Santos (52 anos) e uma mulher, de cerca de 70 anos, ainda não identificada.Nota da redação: A Capitania dos Portos corrigiu a informação anterior prestada por ela de que 20 estavam desaparecidos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.