Pela segunda vez, Senado livra ACM da cassação

O plenário do Senado confirmou a decisão da Mesa da Casa de não abrir processo contra o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), suspeito de escuta telefônica ilegal na Bahia. O recurso contra a decisão da Mesa, encaminhado pelo líder do PT, senador Tião Viana (PT-AC), foi rejeitado por 49 votos favoráveis à decisão da Mesa, 25 contrários e 2 abstenções. A votação foi secreta, segundo requerimento aprovado no início do processo de discussão. Com essa decisão de hoje, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), encaminhará ao Supremo Tribunal Federal uma "notícia crime", pela qual caberá ao STF investigar a acusação de escuta ilegal. A Mesa , por sua vez, vai aplicar uma pena de "censura escrita" ao senador baiano. Assim que foi divulgado o resultado da votação, o relator do processo, Geraldo Mesquita (PSB-AC), oficializou o seu afastamento do Conselho de Ética do Senado.Veja o índice de notícias sobre o grampo na Bahia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.