Pela primeira vez em 30 anos, RS está ´no azul´

O Estado do Rio Grande do Sulvislumbra, pela primeira vez em 30 anos, a possibilidade deregistrar superávit primário (receitas menos despesas, semconsiderar o serviço da dívida) em suas contas. De acordo com osecretário estadual de Fazenda, Arno Augustin, a tendência daadministração é de se aproximar do equilíbrio até o fim desteano. "O Estado que entregaremos em 1.º de janeiro de 2003estará muito mais governável do que o recebido em janeiro de1999", tem afirmado Augustin.De acordo com o balanço consolidado da Secretaria deFazenda, incluindo dados da administração indireta, o governogaúcho já está no azul desde o ano passado, mas a administraçãodireta ainda permanece com um déficit de 0,3% do Produto InternoBruto (PIB), que está gradativamente sendo reduzido. Em 1998, odéficit primário do Estado chegou a atingir R$ 1 bilhão (1,4% doPIB), mas foi coberto com recursos das privatizaçõesrealizadas.Apesar da melhoria estrutural, o Estado segue tendo umdéficit orçamentário de mais de R$ 500 milhões por ano. Issoocorre por causa dos pagamentos das dívidas, que não entram nocálculo do resultado primário. Neste ano, o Rio Grande do Sul deverá gastar mais de R$1 bilhão para cumprir suas obrigações contratuais com a União ecom outros credores, o que provoca uma escassez de recursos emoutras áreas. O investimento programado para 2000, por exemplo,é de R$ 608 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.