Pela CPMF, Dilma apela à responsabilidade da oposição

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que o governo não abrirá mão da determinação de aprovar a emenda que prorroga até 2011 a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Com o argumento de que os recursos arrecadados com a cobrança da contribuição são fundamentais para o equilíbrio das contas públicas, a ministra fez um apelo à oposição: "Nós estamos num processo, sem sombra de dúvida, determinado e sistemático no sentido da aprovação da CPMF. E acredito que, da parte da oposição, também há responsabilidade, principalmente porque ela já foi governo", disse a ministra, em declaração divulgada pelo programa "Bom dia, Brasil", da TV Globo.Segundo Dilma Rousseff, os recursos da CPMF - num total de R$ 38 bilhões a R$ 40 bilhões anuais - são fundamentas para o equilíbrio das contas públicas e para a manutenção dos programas do governo voltados para a saúde, a educação e a infra-estrutura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.