Pefelista diz que União privilegia PMDB e PSDB com verbas

Os Estados governados pelo PMDB e pelo PSDB foram os mais privilegiados na liberação de verbas federais. Esta é a conclusão do levantamento feito pelo deputado Pauderney Avelino (AM), vice-líder do PFL na Câmara, que aponta a Paraíba, seguida pelo Ceará, como os estados que mais receberam recursos da União, em 2001. O estudo será entregue, na próxima semana, ao líder do governo na Câmara, deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), e faz parte da estratégia do PFL de mostrar que, mesmo na época em que era o partido mais fiel ao Palácio Planalto, não era bem tratado pelo governo. "O PFL é o partido mais leal ao governo, é o maior partido, mas é tratado como sub-raça", reclamou Avelino. "Não conheço esses dados, mas posso garantir que o governo não faz discriminação nem favorece Estados ou partidos", afirmou o líder Madeira. "Não existe discriminação; o que pode ocorrer é um Estado ou um partido ter a verba liberada mais rapidamente por uma questão de burocracia", disse o líder do governo no Congresso, deputado Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM). Pelo estudo da Coordenadoria de Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara, a Paraíba recebeu, até o dia 7 de março último, 40,08% - o equivalente a R$ 92,8 milhões - do total de recursos destinados ao Estado pelo governo federal. O Estado é governado pelo peemedebista José Maranhão. Já o Ceará, que até o início deste mês era comandado pelo tucano Tasso Jereissati, teve liberados 37,58% (R$ 249,6 milhões) do total de verbas orçamentárias da União previstas para o Estado. Em terceiro lugar vem Alagoas, governada por Ronaldo Lessa, do PSB, partido de oposição ao governo federal. Até 7 de março último, recebeu 37,04% (R$ 75,8 milhões) de seus recursos globais. Depois, vem o Pará, governado pelo tucano Almir Gabriel, com 36,08% (R$ 218,4 milhões) do total de verbas previstas. A seguir, vem Pernambuco, do peemedebista Jarbas Vasconcelos, que recebeu 33,07% (R$ 235,3 milhões) do total de recursos orçamentários destinados ao Estado.A maioria dos oito Estados governados pelo PFL aparece na "lanterninha" de liberação de verbas da União, em 2001. Roraima, Paraná, Maranhão, Piauí e Amazonas só ficam atrás na liberação de recursos orçamentários para o Espírito Santo e o Amapá. Até mesmo a Bahia, do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, ocupa a décima posição no ranking, com 27,27% (R$ 188,9 milhões) do total de verbas do Orçamento para o Estado liberadas. O PMDB e o PSDB, segundo o estudo encomendado por Pauderney Avelino, também são os partidos mais beneficiados pelas verbas federais. Em 2001, os parlamentares do PMDB receberam R$ 702,8 milhões para suas emendas orçamentárias e os tucanos, R$ 701,9 milhões. Já o PFL teve liberados para as emendas de seus parlamentares R$ 424,3 milhões. "Isso comprova os maus tratos do governo federal com a gente", disse Avelino, que pretende entregar o levantamento para o presidente nacional do PFL, senador licenciado Jorge Bornhausen. "Não há condições de o PFL estar com essa defasagem toda no recebimento de verbas; deve haver algum erro", reagiu o líder do PMDB na Câmara, deputado Geddel Vieira Lima (BA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.