Pefelista culpa política econômica por apagão

O deputado "carlista" José Carlos Aleluia (PFL-BA), autor de projetos de reformulação do setor energético, disse hoje que "o PFL tem tanta responsabilidade na crise de energia quanto o PMDB em relação às estradas esburacadas e o PSDB em relação à falta de saneamento e esgoto". Segundo ele, "não se pode resolver energia dissociado da política econômica, que priorizou o superávit fiscal em detrimento dos investimentos". Aleluia lembrou que, desde o início da década de 90, o PFL vinha alertando para as dificuldades do setor energético e, por isso, dizer que a responsabilidade é só de um partido é "iludir a população", afirmou, em resposta aos que querem culpar o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) pela nomeação dos dois ministros de Minas e Energia que antecederam a José Jorge (Raimundo Brito e Rodolpho Tourinho) e que supostamente teriam permitido a instalação da crise energética. Por causa da reunião de amanhã do presidente Fernando Henrique Cardoso com os líderes da base aliada do governo, no Palácio do Planalto, ao meio-dia, ficou esvaziado o debate marcado para as 10 horas, na Comissão de Infra-estrutura do Senado, com ministros e técnicos do setor energético. Para não desmarcar a reunião, o presidente da comissão, senador José Alencar (PMDB-MG), manteve as palestras dos professores Luiz Pinguelli Rosa e Mauro Tolmasquim, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e do superintendente de regulamentação econômica da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), César Gonçalves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.