Peemedebistas criticam ala governista do partido

Reunidos hoje em São Paulo no ato de oficialização do apoio do Diretório local à pré-candidatura do governador Germano Rigotto (RS), lideranças peemedebistas aproveitaram a ocasião para criticar governistas e o governo federal que tem tentado derrubar a candidatura própria da legenda, em prol de uma coligação com o Planalto. Rigotto, que iniciou sua campanha recentemente, foi incisivo ao dizer que não aceitará qualquer tipo de aliança, seja com o PT ou com o PSDB."Aqueles que acham que poderão, porque tenho 3% das intenções de voto, retirar meu nome estão totalmente equivocados", afirmou o governador, em relação aos governistas que apostam numa vitória sua nas prévias para posteriormente trabalhar pela retirada de sua candidatura. "Quando falam, fazem especulações de que podem me tirar se eu ganhar a prévia." E continuou: "Esperem quando eu vencer a prévia, o que vai acontecer com o PMDB no Brasil."O presidente nacional da legenda, Michel Temer (SP), disse achar legítima a tentativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em formar uma aliança com o PMDB, mas criticou qualquer ação que aponte para a formação de uma chapa única. "A vontade do presidente Lula, de querer fazer uma aliança com o PMDB é legítima. Ilegítimo é procurar governadores e lideranças do PMDB, sabendo que o partido, em convenção nacional já se decidiu por candidatura própria".Temer lembrou a resolução aprovada pela executiva nacional que prevê a candidatura do segundo colocado nas prévias, caso o primeiro retire o seu nome. Forma encontrada pela legenda para evitar candidato artificial. "É absolutamente inviável a hipótese de uma aliança com quem quer que seja neste momento", defendeu Temer.Quanto à eventual candidatura do presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, disse ser favorável, mas que para isso, o ministro teria de passar pelas prévias. "É um excelente quadro (Nelson Jobim) para ser presidente da República. Agora, para ser candidato, o ministro Jobim tem de participar da prévia, não existe unção de candidatos no PMDB", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.