Peemedebista pediu apuração sobre ex-secretário

Um dia antes de tirar licença da presidência do Senado, Renan Calheiros pediu ao primeiro-secretário, Efraim Morais (DEM-PB), abertura de sindicância, "em caráter de urgência", sobre as acusações do ex-secretário-geral-adjunto da Mesa Marcos Evandro Cardoso Santi. Ele se afastou do cargo no fim de agosto, alegando manobras da Mesa para beneficiar Renan no primeiro processo no Conselho de Ética.Em ofício datado do dia 10 deste mês, Renan pede a averiguação das declarações de Santi. Ele anunciou a licença no dia 11.Efraim abriu a apuração na quarta-feira. Um dia antes, votou pelo arquivamento da representação do PSOL que pedia que Renan fosse investigado, sob acusação de destinar verba do Orçamento para empresa fantasma de um ex-assessor, como revelou o Estado. Procurado, Santi disse ontem por telefone que cumpre a Lei 8.112/90 e não pode revelar nada nem dar entrevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.